quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

De volta

Olá

Que saudades aqui do meu cantinho, na verdade não estava zangada mas sim triste, com a vida...
Várias pessoas pediram para voltar, inclusive o meu marido que ficou espantado quando lhe disse... enfim.
Essa fase já passou e começa tudo a entrar numa fase mais calma e eu necessito deste meu espaço e das vossas amizades...

Quero agradecer a todas que me deixaram força e incentivo, e em especial a minha madrinha Elisabete que me deixou muito emocionada. Pois é tive o previlégio de receber uma foto da Diana, uma bebé muito fofa e linda deitadinha ao lado da fraldinha que eu lhe fiz, obrigada

A vida por vezes é amarga e temos que dar a volta por cima, pois é, por isso me dedico com muito carinho aos meus trabalhos e sempre com necessidade de aprender, prova disso este sabado vou participar num workshop de patchwork, gostava imenso de aprender, nao sei se irei fazer alguma coisa no futuro, o tempo é escasso e não dá para tudo e os projectos em mente são sempre muitos. Para a semana venho contar como correu e mostrar alguns trabalhos embora poucos neste periodo da minha ausencia.

Obrigada mais uma vez a todas que deixaram comentarios ou mandaram e-mails
Beijocas
Dora

7 comentários:

Emília disse...

Olá linda.

Ainda bem que voltaste. Fico muito feliz por não teres desistido deste mundinho virtual.
Fico a aguardar os teus novos trabalhinhos.
Beijinhos
Emília

Joanita disse...

Bem-vinda novamente!! =)

Fico a aguardar os teus trabalhos!

Diana disse...

Olá Dora, fico muito feliz que tenhas voltado:)
Fico à espera de novos trabalhos.

beijinhos

fénix renascida disse...

Tivesse eu o teu jeito! Não tenho jeito nenhum para a coisa, mas sei apreciar. E lá de vez em quando posso precisar de uma dicas:)

O meu assunto, porém, é outro:

Trata-se de decidir sobre a guarda dos filhos, em caso de separação: guarda à mãe (que é normalmente, a figura de referência da criança), ao pai (que é, muitas vezes, aquele que oferece melhores condições), ou conjunta? Pode um juíz decidir por esta última, contra a vontade de um casal que acaba de se separar? Pode decidir pelo pai, ainda que nada haja a apontar à mãe?

Palavras sábias de um pai que ganhou, em tribunal, a custódia dos filhos: A tutela dos filhos é um empreendimento para a vida; não pode ser gerido por dois sócios que não se entendem. As pessoas não conseguem deixar de usar o seu poder para anular decisões e exercer pressões. É preferível que só um dos pais tenha a tutela, por muito que isso custe ao outro. A educação de uma criança não é passível de falhas.'

Ponhamos a mão na consciência: se a lei não permite que se separe as crianças de junto dos seus pais, mesmo que estes vivam em fracas condições, porque razão há-de um juíz atribuir a guarda ao progenitor que ofereça melhores condições? É este o superior interesse da criança?!

Eis a minha petição pela salvaguarda daquilo que eu entendo ser um direito NATURAL das mães (desde que estas tenham o MÍNIMO de condições e se revelem BOAS -mas não perfeitas, claro- mães).

URGE REABILITAR A MATERNIDADE!!!

http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N575

Tita disse...

oi. ainda bem que voltaste. o blog pode ser uma terapia para os nossos problemas. eu tb passei por uma fase menos boa, mas no então o blog serviu um pouco para desabafar. Fico a aguardar os teus trabalhinhos. bjs

Aris disse...

Manda teu endereço pra mim, Dora. Tenho uma coisa fofa pra te mandar feita de coração :-)
Meu e-mail é arismeire@gmail.com
Beijocas.

candy e dany disse...

vim fazer uma visita ao teu blog adorei visita os nossos e ve se nos
podes ajudar por pouco que seja ,nem que seja com restinhos
bjis candida:
http://amigosdosanimaisdailhaterceira.blogspot.com/
http://candysolidaria.blogspot.com
http://asARTESdaCANDYeDANY.blogspot.com